Caso não esteja visualizando, acesse aqui.
Agosto 2016
 
Caros/as

Em plena Olimpíada, está se jogando um jogo muito mais dramático, com o retrocesso social, cultural e econômico do país. Somos espectadores impotentes de movimentos de cúpula onde o processo democrático simplesmente desapareceu. Olhamos espantados, cada dia surpresos com mais uma medida. Roberto Malvezzi resume bem: “Desmonte do SUS em favor da medicina privada; modificações draconianas para o povo na previdência social em favor da previdência privada; modificações dos tempos da revolução industrial na legislação trabalhista em favor do capital privado; entrega do Pré-Sal; desmonte da educação pública – inclusive universidades – em favor da educação privada; entrega das terras públicas aos estrangeiros; repressão dos movimentos sociais; supressão de verbas para pesquisas científicas; crescimento da intolerância fascista” e por aí vai. Um Congresso eleito pelo dinheiro das corporações, prática já declarada inconstitucional pelo STF, faz de tudo para servi-las. Mas vamos às leituras:


1. L. Dowbor - The Rules of the Global Game - Culture Report, EUNIC 2016 - ISBN:978-3-95829-198-0 

Para quem gosta dos Jogos Olímpicos, e para quem não gosta, escrevi um artigo curto e bem humorado, sobre como funciona o circo muito mais amplo, a chamada sociedade humana. E é permanente, não se limita a uma vez a cada quatro anos. A competição é pela política mais idiota, a corporação mais poderosa, o crédito mais predatório, o paraíso fiscal mais generoso, a publicidade mais invasiva. Divirta-se. O artigo circula em inglês e em alemão em mais de 100 países, através do Culture Report anual da União Europeia (EUNIC 2016 - ISBN:978-3-95829-198-0). Pelo menos o senso de humor eles não perderam. Confira em: http://dowbor.org/2016/08/l-dowbor-the-rules-of-the-global-game-culture-report-eunic-2016-isbn978-3-95829-198-0.html/


2. L. Dowbor, Resgatando o poder do sistema financeiro do país (atualização em agosto, 2016, 47 p.),

A pesquisa que estamos desenvolvendo sobre a deformação do sistema financeiro no país – causa direta e principal da crise que vivemos – prossegue. Acrescentamos a avaliação dos fundos complementares de pensão, que manejam cerca de 730 bilhões (13% do PIB) e que fossem investidos no fomento econômico, como deveriam fazer, gerariam emprego, produto e impostos. No caso, o COPOM os autoriza a aplicar a totalidade dos recursos na dívida pública, e são estes juros, que saem dos nossos impostos, que financiam estas aposentadorias. Continuo recebendo material, em particular do Roosevelt Institute dos EUA, onde Gerald Epstein desenvolve pesquisa muito semelhante, e mostra como mecanismos diferentes levam também à desorganização econômica e política naquele país. Acessem a íntegra do artigo atualizado aqui: http://dowbor.org/2016/08/ladislau-dowbor-resgatando-o-potencial-financeiro-do-pais-versao-atualizada-em-04082016-agosto-2016-47p.html/



3. 
Gerald Epstein and Juan Antonio Montecino – Overcharged:the high cost of high finance– The Roosevelt Institute, July 2016 -  http://rooseveltinstitute.org/overcharged-high-cost-high-finance/

A deformação geral das economias pelo sistema financeiro está se tornando hoje o elefante no meio da sala. É essencial para entender a atual crise no Brasil, mas também o travamento da economia norte-americana nas últimas décadas. Gerald Epstein e Juan Antonio Montecino publicaram um estudo aprofundado de como o processo se dá no sistema financeiro americano, mostrando que nas suas diferentes dimensões, em vez de financiar a economia, drena os recursos das atividades produtivas e trava o desenvolvimento. Em termos metodológicos, o estudo aproxima-se muito do exercício que estamos desenvolvendo aqui para o Brasil, Resgatando o potencial financeiro do país. O aporte dos autores é fundamental para entender as novas dinâmicas, e a metodologia adotada, que permite calcular os trilhões de dólares que o sistema financeiro custa à economia americana (custo líquido, descontados os aportes, portanto produtividade negativa) é uma grande ajuda às nossas pesquisas. Acesse resenha sobre o estudo em: http://dowbor.org/2016/08/l-dowbor-the-rules-of-the-global-game-culture-report-eunic-2016-isbn978-3-95829-198-0.html/



4. Joseph Stiglitz, Rewriting the rules of the American Economy (2015, 115p).

Disponível agora online na íntegra o relatório coordenado por Joseph Stiglitz, Rewriting the rules of the American Economy (2015, 115p). Já o tinha mencionado quando saiu, é um documento curto e de grande importância, pois os Estados Unidos enfrentam, em outro nível, desafios semelhantes, com um congresso controlado por uma direita irracional, desarticulação dos processos produtivos pelo sistema financeiro, concentração surrealista de fortunas no topo da pirâmide social, estagnação ou até regressão dos salários. O subtítulo, An agenda for growth and shared prosperity, define os objetivos: muitas das propostas, como taxação do capital improdutivo, reforma fiscal e outras medidas são evidentes e bem formuladas, e apontam rumos que são igualmente necessários para nós. Uma ferramenta para a nossa realidade também. Acesse em:  http://dowbor.org/blog/wp-content/uploads/2015/06/report-stiglitz.pdf


5. Já está no ar as traduções do nosso artigo A Captura do poder pelo sistema corporativo em inglês e em polonês:

The corporate capture of democracy (2016, 11p.): Corporate power has become systemic, capturing one by one the different dimensions of expression and exercise of power, and generating a new dynamic, or a new architecture of really existing power, political, economic and cultural. In this paper we will briefly cover a few basic mechanisms, sketching in a way what can be the emerging shape of the system. Deeply distorted ground rules continue being be presented as the result of a democratic and legitimate process, and indeed our Constitution states that all power emanates from the people. But rescuing the democratic processes of control and resource allocation today is a key challenge. Boaventura de Souza Santos speaks quite rightly of the need to strengthen democracy. But what we really need is to rescue it from the caricature it has become. Download: http://dowbor.org/2016/07/ladislau-dowbor-the-corporate-capture-of-democracy-july-2016-11p.html/

Przechwytywanie władzy przez system korporacyjny (2016, 11 str.): Ekspansja lobbies, kupowanie polityków, najazd na władzę sądowniczą, kontrola systemu informacji społeczeństwa i manipulacja pracami naukowymi to niektóre spośród najważniejszych instrumentów przechwytywania władzy politycznej przez wielkie korporacje. Ogół tych instrumentów stwarza jednak w ostatniej instancji potężniejszy mechanizm, który wiąże je z sobą i nadaje im systemowy charakter: jest nim zawłaszczanie rezultatów działalności gospodarczej za pośrednictwem kontroli finansowej spoczywającej w bardzo nielicznych rękach. Dynamiki władzy politycznej, ekonomicznej i kulturalnej ulegają reorientacji, generując nową konfigurację, która staramy się tu zbadać. To z nią właśnie musi uporać się społeczeństwo poszukujące nowych sposobów zarządzania. http://dowbor.org/2016/08/dowbor-przechwytywanie-wladzy-przez-system-korporacyjny-2016-11-str.html/




6. Neusa Serra e Hamilto Faria (Org), Economia solidária da cultura e cidadania cultural
Editora UFABC/Instituto Pólis, São Bernardo do Campo, 2016, ISBN 978-85-68576-46-5

     Neusa Serra e Hamilton Faria coordenaram um livro muito interessante, Economia solidária da cultura e cidadania cultural. O que vive e se expande de maneira impressionante no Brasil é a prodigiosa criatividade popular, as iniciativas de jovens nas periferias, gente que hoje coloca produções criativas nas diversas mídias. Não é “indústria da cultura”, mas a busca da cultura e sua viabilização através de um conjunto de iniciativas colaborativas e solidárias. Este livro traz um conjunto de visões e experiências sobre estas novas dinâmicas. O capítulo de Dowbor, Economia solidária: novos paradigmas culturais no Brasil, está disponível em http://dowbor.org/blog/wp-content/uploads/2016/08/15-Polis-Eco-da-cultura.doc 




7.
Emir Sader (Org), O Brasil que queremos (2016, 255p.)
Se o golpe parlamentar, que travou o Brasil, teve alguma utilidade foi de recolocar na mesa de discussões as grandes opções com as quais o Brasil se defronta. Neste pequeno volume, os organizadores conseguiram reunir 18 visões, incluindo uma apresentação com um desafio de Lula, uma análise de conjuntura do Emir Sader, explicitação das dimensões constitucionais de Dalmo Dallari, e uma série muito coerente de textos sobre os rumos necessários nas áreas da economia (Belluzzo) e finanças (Dowbor), com Ricardo Lodi sobre a tributação, Luiz Pinguelli sobre as opções energéticas, Celso Amorim sobre a política externa, Tereza Campello sobre o combate à pobreza, Márcio Pochmann sobre políticas educacionais, Alexandre Padilha sobre direitos à saúde, Luiz de Carvalho sobre política ambiental, Marilena Chauí sobre política cultural, Bernardo Fernandes sobre política agrária, Marcia Tiburi sobre gênero, Nilma Gomes sobre igualdade racial, Renato Rovai sobre democracia e comunicação e, para ajuda geral, visão de utopia de Leonardo Boff. Uma ferramenta de trabalho para todos nós, excelente painel sobre os nossos grandes desafios. O volume está sendo lançado em diversos eventos pelo Brasil. O capítulo de Dowbor, “A economia travada pelos intermediários financeiros” (word-11p.)provisoriamente, pode ser acessado em: http://dowbor.org/blog/wp-content/uploads/2016/07/16-BANCOS-Emir-10-p..doc

8. Não esquecendo do cinema, busquem Demain, (2016) um documentário genial em termos de novos rumos de organização econômica e social, exemplos de diversas partes do planeta, uma grande ferramenta de trabalho. Confira o trailer em  www.demain-lefilm.com . O filme ainda está difícil de achar. Agradeço dicas.

Em tempo: as recomendações de leitura dos meses anteriores podem ser encontradas no Mural em http://dowbor.org/mural/. Faça circular esta nota, temos de divulgar os bons estudos que aparecem. Lembre que as pessoas podem se inscrever pelo blog para receber estas notícias: http://dowbor.org/ ou pelo e-mail contato@dowbor.org

Abraços,
Ladislau Dowbor
22.08.2016




Caso você não queira mais receber, acesse aqui para cancelar.
Em caso de abuso, acesse aqui para denunciar.
Para enviar este email para um amigo acesse aqui


Like Facebook Twitter LinkedIn addThis